COMO ACALENTAR SUA MULHER?

0
416

Vez ou outra um problema leva seus nervos à flor da pele, desaparecendo com a solução em um turbilhão improdutivo de tensões de toda espécie, e a tentação de apertar o botão do “apocalipse conjugal” cresce exponencialmente a cada piscada dos olhos.

Conseguiu recordar alguma cena assim?

Os eventos desestabilizadores são uma parte natural e frequente da vida, e não são uma exclusividade sua: também podem acontecer com a sua mulher.

Não discutiremos agora o que fazer quando isso acontece com você, meu amigo com bagos, mas como proceder quando isto ocorre com a parte do relacionamento que tem útero e ovários.

Afinal de contas, se a sua mulher está com a cara amarrada devido algum contratempo, isso influencia diretamente na atmosfera do seu lar e na sua paz de espírito – pra não comentar na qualidade do sexo que você, provavelmente, NÃO está recebendo enquanto ela combate fantasmas no próprio umbigo. Sendo o Homem da casa, você não pode se dar ao luxo de permitir que isto aconteça debaixo das suas barbas sem tentar fazer algo a respeito.

Então, o que você deve fazer quando sua companheira está se sentindo sufocada e ameaçada por algum contratempo?

O primeiro passo do seu trabalho como Homem é separá-la delicadamente do problema. Não destrua a porra da parede logo de saída, não ofereça a solução pronta segundo seu ponto de vista testiculoso: ao invés disso, pergunte o que está acontecendo e por que ela está se sentindo tão perdida daquele jeito.

Não diga “Não precisa se preocupar, linda”, porque ela JÁ está preocupada. Dizer “não se preocupe” para ela é como avisar a uma lata de cerveja ao sol: “Não esquente!”. É perda de tempo e lhe faz parecer estúpido. Ao invés disso, demonstre interesse ao que ela disser. Ela está à procura de alguém para compartilhar o problema e sentir-se acolhida. Faça perguntas relevantes, deixe-a a vontade.

Uma vez encaminhada a conversa, e tendo ouvido a maior parte da versão dela, você pode dar o segundo passo: oferecer um plano para resolver o problema. Ou não.

Lembre-se: o importante é que a solução que você vê para aquilo NUNCA seja oferecida de imediato. É preciso que ela se acalme um pouco antes de ouvir. Você pode perguntar, depois de alguns minutos: “Você quer resolver isso ou só queria falar comigo a respeito para extravasar?”.

Se ela quiser uma solução, é NESTA hora que você pode brilhar. Porque, se existe uma coisa que um Homem é – neste mundo perdido de deus -, é isso: um Homem é Prático. Eu tenho certeza que após 2 minutos da conversa dela você já possuía em sua mente uma saída pragmática para a situação exposta. Se ela disse que aceita uma sugestão, então exponha seu plano de ação. Acalme-a e não fuja da chance de assumir parte da responsabilidade de fazer as coisas darem certo.

Por exemplo: vamos dizer que sua namorada desaba em lágrimas porque tem um relatório enorme para entregar e mais umas duzentas outras coisas urgentes para resolver no mesmo período de tempo. Depois de ouvi-la, você pode dizer: “Beleza, vamos fazer assim então: eu levo seu carro para a revisão e resolvo o problema da carteira do plano de saúde. Você só precisa manter o foco no relatório e deixa o resto comigo que eu resolvo”.

Se ela está arrasada por alguma tragédia – pelo falecimento de uma tia ou um primo, por exemplo -, seu papel como Homem é assumir a frente e resolver o que quer que tenha que ser resolvido. Dirija para ela até o hospital, ampare-a enquanto conversa com os médicos, leve o documento para liberar o atestado de óbito, contate a funerária, comunique os outros parentes, atenda as ligações caso ela esteja sem condições, etc.

Guarde seu próprio sentimento de luto para mais tarde, para o momento onde todas essas coisas estiverem resolvidas, e manifeste-os de modo maduro e saudável.

Deixe uma resposta