O CASO NEYMAR E OS PRINCÍPIOS DA MASCULINIDADE

1
734

O recente Caso Neymar traz uma excelente oportunidade de reflexão sobre a Masculinidade e seus Princípios.

O fato é o seguinte: no momento em que poupamos nossa atividade sexual de qualquer conjunto objetivo de Princípios premeditados, frequentemente produzimos o sofrimento de uma das partes – ou de ambas –, pois a vontade de ser Virtuoso dificilmente consegue vencer a pressão inconsciente pela transmissão de nossos genes, mesmo quando esta não é a finalidade do coito.

O Caso Neymar mostra como estas “pressões inconscientes” podem ser danosas quando um Homem carece de um bom conjunto de PRINCÍPIOS. Os PRINCÍPIOS representam algo que deveria estar na mente de um Homem o tempo todo. E mantê-los não é algo que você deva confiar ao inconsciente ou aos instintos – isto é uma ingenuidade sem tamanho.

Os PRINCÍPIOS da Masculinidade poderiam ser definidos inicialmente em 7 Pilares: Honra, Lealdade, Coragem, Resiliência, Sabedoria, Disciplina e Curiosidade (pelo Conhecimento, pelo Aprendizado, pelo Progresso da Virtude).

Talvez Neymar tenha se esquecido destes Princípios. Ou, mais provavelmente, os desconheça em nível consciente. Se porventura entendesse estes Pilares, se REALMENTE os entendesse, e se procurasse a Eudaimonia (o florescimento do Caráter) a partir destes Princípios, por acaso teria se envolvido em algo como o imbróglio que o aflige agora?

Neymar ganha 3 milhões de Euros por mês (algo como 11 milhões de Reais). Acusá-lo de ser “burro” é jogar no lixo a inteligência de qualquer um que se preocupa em ganhar dinheiro. Por isso, não é um problema de “falta de inteligência”. E antes que você venha com uma conversa de “mas existem inteligências diferentes….”, permita-me lhe avisar: a mania de subdividir as inteligências, bem vendida pelo Sr. Daniel Goleman e por tantos outros depois dele, é uma miragem. Uma condescendência com a burrice em toda parte.

Também não é um problema de “falta de opções”. Neymar não caiu pelo primeiro rabo de saia que viu. O “cardápio” dele tem mais opções que os cardápios de todas as lojas da franquia Subway no mundo todo somados.

Tampouco é um problema de maturidade. Com que idade alguém é capaz de entender o que significam Honra, Lealdade, Coragem, Resiliência, Sabedoria, Disciplina e Curiosidade? Com que idade alguém é capaz de entender isso?

Mas “entender” um conceito não é o mesmo que seguir PRINCÍPIOS. Por isso, o problema do megafamoso e multimilionário Neymar é um problema absolutamente comum a TODOS os homens: o problema está em CONHECER os Princípios, entendê-los e, mais que qualquer coisa, manter-se sempre atento à bússola Moral que eles oferecem.

Em todas as conversas que tenho sobre Masculinidade, falo o tempo todo sobre estes Pilares de Princípios, direta ou indiretamente, e de como soberania pessoal, autorresponsabilidade e autopertencimento dependem, inicialmente e acima de tudo, de uma boa calibragem inicial deles.

A “calibragem” pode ser resumida nas 3 perguntas mais importantes que um Homem deveria fazer para si mesmo:

1) QUEM eu sou?

2) O QUE eu quero?

3) O que sou CAPAZ DE FAZER para conseguir o que quero?

Quando você pula a primeira pergunta e vai direto para as duas seguintes, sua soberania pessoal, sua autorresponsabilidade e seu autopertencimento perdem qualquer valor ou senso de razoabilidade. Só depois de responder à PRIMEIRA PERGUNTA com imensa Honestidade e Coragem é que soberania pessoal, autorresponsabilidade e autopertencimento passam a ter algum valor como ferramentas para o desenvolvimento pessoal, legitimando seus Princípios.

Tenha claramente em sua mente um Conjunto de Princípios. Pense sobre eles. Reflita, desenvolva-os, faça um polimento em cada um deles como se fosse o capô de um Maverick que você está terminando de restaurar. Quando achar que terminou, desmonte-os peça por peça, e monte-os novamente. Vê alguma incongruência? Corrija. Vê alguma imperfeição? Elimine. É assim que você responde QUEM VOCÊ É e elabora um caminho até o Homem que você DEVE ser. Fatalmente, isso produzirá uma bússola que guiará você ao longo das outras duas perguntas.

O Caso Neymar é um exemplo clássico de burrice filosófica sobre Princípios e de cegueira voluntária para as perguntas mais importantes que um Homem deveria fazer para si mesmo.

O homem Neymar tem Princípios? Certamente que sim. Ele não seria o que é sem tê-los.

O conjunto de Princípios de Neymar está sendo bom para ele? Não exatamente…

E daí eu lhe pergunto: você tem a grana do Neymar? Mora na mansão do Neymar? Dirige os carros do Neymar? Faz gols como os gols que o Neymar faz? Pega as mulheres que o Neymar pega?

Provavelmente não.

Mas curiosamente sofre o mesmo problema que ele, não sofre?

Quase certamente, você não tem um conjunto de Princípios escrito item por item, pensado, escrutinado, detalhado, que carrega no bolso dia e noite, minuto a minuto.

Você tem um esboço impreciso, que mal se lembra quando acorda e toma seu café. E sai de casa todo dia carregando essa porcaria na mochila, negociando seu rascunho conforme as circunstâncias.

Isso não é ter Princípios. Isso não ter é uma bússola. Isso é uma criança chorando para ganhar mais algodão doce no parque.

Quando você age assim, não se torna uma voz. Você é um eco. Não é um Homem. É uma sombra de quem nasceu para ser.

Não faça isso consigo mesmo. É um crime.

Entenda os Pilares da Masculinidade. Entenda os Princípios. Transforme-os de uma teoria em uma CONVICÇÃO.

Se quiser (e isso é até preferível), desenvolva SEUS PRÓPRIOS Princípios. Mas encare isso como uma tarefa IMPORTANTE E URGENTE. Faça isso de hoje para amanhã. E não se ATREVA a abrir os olhos e colocar os pés fora da cama sem levá-los consigo.

PRINCÍPIOS, meu caro.

Você tem isso aí? Ou só finge que tem? Ou, como Neymar – e tantos outros -, acha que tem?

1 COMENTÁRIO

  1. Irretocável texto como sempre, aprender a assumir responsabilidade em ser homem e desenvolver-se constantemente, é a unica maneira de evitar que isso volte a acontecer.
    Mas exemplos do pai não foram os melhores.

Deixe uma resposta