CONQUISTE UM MEDO HOJE!

0
256

Por incontáveis vezes ao longo da evolução de nossa espécie, o Medo foi um investimento sensato. Graças a este instinto biológico, nossos antepassados – e eu e você – deixamos de fazer várias coisas estúpidas que poderiam acabar com nossas vidas.

Todavia, apesar de ser um conselheiro confiável, o Medo é um péssimo guia. Ele nem sempre é congruente como gostaríamos e tende a se apresentar como uma tática irracional muitas vezes: é comum ver as pessoas relatarem crises de pânico ao viajar de avião, mas quantas vezes você soube de alguém que teve um impulso de terror porque foi dar uma simples volta de carro?

A cada 12 meses, simples voltas de carro matam 42.000 pessoas no Brasil, o que nos garante um lugar de destaque entre os cinco países com maior número de mortes anuais relacionadas acidentes automobilísticos. Por outro lado, acidentes aéreos são responsáveis por menos de 100 mortes por ano na terra de Santos Dumont.

Tudo bem, temos 80 milhões de veículos (entre carros e motos) contra cerca de 700 aeronaves realizando vôos comerciais. Mas, de acordo com a Agência Nacional da Aviação Civil, mais de 80 milhões de passageiros embarcam em quase 100 mil vôos domésticos nos terminais brasileiros a cada ano e mesmo assim as fatalidades são raras.

É mais fácil ser morto por um ataque de tubarão que por um acidente de avião. E é, sem dúvida alguma, centenas de milhões de vezes mais fácil falecer em um acidente de carro que em um ataque de tubarão durante um vôo. Ainda assim, a maioria das pessoas morre de medo de tubarões e aeronaves, mas pouca gente tem medo de andar de carro.

POR QUE VOCÊ DEVERIA SUPERAR SEUS MEDOS?

Não somos máquinas, não nascemos máquinas, e ninguém é capaz de se livrar completamente do medo. Mas você pode – e é seu dever – dominá-lo utilizando alguns recursos da Razão.

O medo é um instinto primitivo, não uma função superior das suas faculdades cerebrais. Quando você aborda seus medos com racionalidade, frequentemente termina percebendo que eles não possuem bases bem fundamentas.

Vou lhe dar alguns motivos pelos quais você deveria superar seus medos:

  1. O MEDO É UMA COVARDIA. Frequentemente, tentamos emoldurar nossos medos de modo a aliviar a carga de responsabilidade do Ego. Você diz para si mesmo e para as pessoas que está agindo daquela forma porque é mais prudente ou porque é um sujeito cuidadoso. Ou diz que não tentou algo simplesmente porque aquilo não é tão importante assim para você. Ou diz que estava um pouco tenso e quem sabe tente aquilo mais tarde. Mas se você realmente deseja superar seus medos, é preciso dar o nome correto aos bois: não diga “não vou fazer isso porque estou nervoso”; diga “não vou fazer isso porque sou um covarde”. Isso não é ser excessivamente duro consigo mesmo: isso é ser honesto. Lembre-se de Gandhi: “O medo tem alguma utilidade – a covardia não”.
  1. O MEDO ROUBA DE VOCÊ A INTEGRIDADE. Ter integridade significa viver de modo congruente com suas crenças e seus valores. Mas quando você quer fazer algo e acredita que aquilo é o certo, mas não o faz por medo, você está violando seus valores mais preciosos. Ser honesto com seus princípios sempre envolverá uma dose de ousadia saudável para superar o que você teme.
  1. O MEDO TIRA O VOLANTE DE SUAS MÃOS. Se existe uma característica intrínseca de nossa espécie em relação aos outros animais neste planeta é o fato de que um ser humano tem a chance de estar no comando de suas velas e ser o comandante de seu navio. Você é o motivo de quase tudo que lhe acontecem. É você quem faz a maioria das escolhas na estrada do seu destino. E alguém que se deixa guiar pelo medo está entregando inteiramente ao acaso a qualidade de sua própria existência.
  1. O MEDO DEIXA ARREPENDIMENTOS COMO HERANÇA. O passado não é onde você vive. O passado é onde você pesca seus aprendizados. Mas, se consentir, o medo irá entulhar seu presente e seu futuro com arrependimentos. Esta é a herança do medo: tornar você um especialista em perder oportunidades uma depois da outra.
  1. O MEDO RETARDA SEU CRESCIMENTO PESSOAL. Um ser humano deveria lutar diariamente para aprimorar a si mesmo, ser um pouco melhor hoje do que foi amanhã. Mas não há crescimento sem risco: você realmente acredita que pode fazer hoje as coisas com os métodos de ontem e continuar evoluindo amanhã?

 

PASSANDO POR CIMA COMO UM TRATOR

O escritor irlandês Brendan Francis Aldan Behan (1923-1964) certa vez registrou que “muitos de nossos medos são finos como uma parede de papel de seda, e basta um pequeno passo de coragem para fazer-nos atravessá-los por completo.

Você não precisa passar a vida inteira no cativeiro de suas inseguranças. Você pode, por meio da sua força de vontade, se tornar o senhor de seus temores.

Se estiver disposto a tentar, que tal enfrentar o que lhe aterroriza utilizando uma das 7 ferramentas a seguir? Ou elabore uma combinação delas – e atropele seu medo como se fosse um trator em velocidade máxima!

MUDE SUA PERSPECTIVA SOBRE O MEDO. Será que a dor e o cansaço que você enquanto malha é algo ruim? Ou eles significam apenas que você está se tornando mais forte? O medo só é negativo quando você acredita nisso. Você pode nomear a dor que seu corpo experimenta como sendo um aprimoramento do seu caráter. Lembre-se: não existe progresso sem dor e trabalho.

Ao invés de perceber seu medo como desgastante, considere-o uma aventura. Uma aventura é qualquer coisa que lhe tira da zona de conforto e lhe faz avançar em um território inexplorado. Ela pode ser grandiosa como um safári na África ou tão simples quanto conversar com um estranho – em ambos os casos, ela representa um avanço. Conquistar um medo – enorme ou pequeno – é sempre uma empreitada magnífica. Todo ser humano deveria tentar assustar-se um pouco todo dia.

MUDE SUA PERSPECTIVA SOBRE OS RISCOS. A raiz de seu medo é o medo de tentar algo e dar com a cara na parede. O medo aparece e você faz algumas considerações de curto prazo: “E se eu for rejeitado? E se isso não der certo?”. Se você não tentar, existe 100% de certeza de que não irá falhar. Por outro lado, se tentar, há uma chance de dar errado e você terminar com os burros n´água. E esse pensamento intimidador lhe paralisa na zona de conforto.

Contudo, ao proceder sempre dessa maneira, você está assumindo um risco de longo prazo bem mais danoso que qualquer golpe de curto prazo: você está aceitando a ameaça de nunca realizar qualquer coisa importante. Está vivendo o prenúncio de uma existência medíocre. O risco de olhar para trás, após 10, 20 ou 30 anos e sentir-se esmagado por um arrependimento imenso e amargo. Quando você deixa passar uma oportunidade porque estava com medo, aquele momento nunca mais irá se repetir. Nunca! Simples assim.

AJA COM CORAGEM! Finja ser corajoso. Finja até sentir ser verdade. E então será.

PENSE NOS GRANDES NOMES DA HISTÓRIA. Seu medo pode parecer um desafio insuperável. Mas, considerando outras perspectivas, ele pode parecer algo perfeitamente manuseável. Na próxima vez que se sentir paralisado por medo, pense nas pessoas corajosas do passado. Pense em Edmund Hillary, o primeiro homem a subir o Everest, ou em Amelia Earhart, a primeira mulher a efetuar um vôo solo sem escala através do Oceano Atlântico. Será que seu medo teria algum significado para pessoas assim? E ambos eram, basicamente, seres humanos biológica, anatômica e fisiologicamente iguais a você.

ELIMINE O MEDO COM GOLPES DE LÓGICA. Como você leu acima, o medo não é algo racional. Uma solução bem prática para aniquilá-lo é bombardeá-lo com Lógica. Pergunte-se: se você fizer aquilo que tem medo, qual a pior coisa que poderia acontecer? Se você fosse até lá e chamasse aquela gata para sair, qual a pior coisa que poderia acontecer? Ela dizer “não”. Bem… se não for até ela, o não você já tem, 100% garantido. E se ela disser mesmo um não, então nada mudou – você não tinha um encontro com ela antes, continua sem ter um encontro agora.

Qual a pior coisa que poderia acontecer se você se candidatasse a uma vaga de emprego e não fosse selecionado? Você não tinha aquele emprego antes, iria continuar sem o emprego depois. Novamente: nada teria mudado.

Qual a pior coisa que poderia acontecer se você fosse escolhido para fazer uma palestra? Se você recusasse o convite, as pessoas jamais iriam saber se você é ruim – ou bom. Certamente ninguém iria criticar você pela palestra que não fez – mas certamente ninguém iria elogiar também.

Na maioria dos cenários do cotidiano, ao avançar sobre um medo, a pior coisa que poderia acontecer em geral é um desconforto apenas temporário e perfeitamente negociável.

MEMORIZE ESTE MANTRA. Existe uma passagem inspiradora de Theodore Roosevelt que pode lhe servir de incentivo. Recomendo que você a memorize, ou imprima e cole no espelho do banheiro ou na porta da geladeira:

Não são os críticos distantes que contam, tampouco o homem que, da segurança de seu camarote, aponta onde você gaguejou, tropeçou ou pisou em falso. O crédito da crítica pertence ao gladiador que está na arena; àquele cujo rosto também está coberto de sangue, suor e poeira; ao valente que batalha, que erra, que cai, que se levanta e persiste, sabendo que não existe esforço sem contratempos. O crédito da crítica acompanha apenas aquele que age com grande entusiasmo e devoção; que sabe que, se tudo der certo, ao final terá dentro de si o orgulho de ter se entregado a uma causa válida – e, se tudo der errado, que ousou com magnífica honra e invejável coragem. O poder da crítica nunca pertenceu e nunca pertencerá àqueles cujas almas tímidas e vazias jamais se arriscaram verdadeiramente a perder ou ganhar este mundo”.

NÃO TENHA MEDO DO MEDO. Como diria o pessoal da Nike: Just do it! (Apenas vá lá e faça!). Alguns gurus pregam que: “se estiver com medo, vai com medo mesmo”. Discordo profundamente disso: não forneça ao medo um abrigo dentro de si. Não torne sua mente uma residência para ele. Reconheça o medo, receba-o, mas na sequência – antes de seguir em frente – livre-se dele! Não tenha medo de desapegar-se do medo.

QUE TAL UM DESAFIO?

Hellen Keller (1880-1968) foi uma escritora e ativista social americana. Surda e cega, teve sua vida transformada em filme. Seu aniversário de nascimento (27 de junho) foi declarado feriado nacional nos EUA pelo presidente Jimmy Carter em 1980.

Filósofa e conferencista extremamente talentosa, Hellen foi um exemplo incontestável de força e garra. Em suas palavras: “A vida é uma grande aventura – ou nada. A segurança não existe na natureza, tampouco na vida de crianças e pessoas como uma experiência integral. No longo prazo, evitar o perigo jamais foi mais seguro que expor-se a ele”.

Sim, no longo prazo, nenhum de nós estará neste mundo. Não que você deva apressar voluntariamente sua morte, mas entenda: não cabe inteiramente a você retardá-la. Evitar riscos por causa do medo faz tanto sentido quanto não engolir comida ou água para não morrer engasgado.

Você pode achar que ficará em segurança se evitar fazer apostas, mas os medos que você não conquistou irão se acumular sobre seus ombros. Eles estarão lá quando você acordar e quando se deitar à noite. Irão lhe acompanhar como lembranças fantasmas de suas limitações, sussurrando: “que tal finalmente dar aquele passo?”, enquanto você finge não ouvir e os ignora.

Mas os medos não confrontados, como sacos de cimento empilhados uns sobre os outros e todos sobre sua cabeça, irão deixar você mais lento a cada dia. E logo virarão obstáculos em seu caminho, complicando seu progresso e obliterando sua mente.

Então inspire-se em Hellen Kelller e aceite um desafio: escolha um medo, algo que você precisa ou queira fazer, mas que vive deixando para depois. Pode ser chamar uma garota para sair, ou dizer ao seu melhor amigo o quanto você gosta dele, ou terminar um relacionamento tóxico, ou pedir um aumento, ou assumir um equívoco que você cometeu, ou pedir perdão por alguma estupidez que cometeu.

Escolha um medo do qual você tem medo até de pensar e enfrente-o com as ferramentas que aprendeu aqui. Permita que este seja o dia em que as desculpas e a procrastinação encontrarão um fim: conquiste um medo hoje.

 

Deixe uma resposta