A MÁGICA DO ENTENDIMENTO

0
118

Pelo mundo afora e por eras e mais eras a perder de vista, homens e mulheres sempre buscaram formar laços afetivos potencialmente longevos. Foi assim, utilizando este tipo peculiar de cola emocional, que nossa espécie prosperou e construiu famílias, cidades, nações e civilizações.

Todavia, muitos vínculos de afinidade naufragam ao colidir com desentendimentos relativamente pequenos. Boa parte desses atritos que se transformam em tempestades poderia ser resolvida utilizando uma ferramenta bem simples chamada Intersubjetividade.

INTER-O-QUÊ?

A Intersubjetividade refere-se à capacidade de compreender profundamente a experiência subjetiva de outra pessoa. Esta capacidade está um passo além da empatia e inclui o reconhecimento de que a mente humana frequentemente divaga através do tempo, direcionando-se para pessoas, lugares e eventos distantes no passado ou no futuro. Em outras palavras: a mente costuma se entreter coisas não-relacionadas ao momento presente, alternando a atenção da consciência entre eventos internos e externos.

As interações interpessoais e os acontecimentos testemunhados por uma pessoa compõem os eventos externos – todos ocorrem no mundo de fora, no aqui e agora.

As memórias do passado e aquelas divagações que ocupam seus pensamentos enquanto você sonha acordado constituem os eventos internos.

Compreender a diferença entre eventos internos e externos – e as interações entre ambos – pode ser essencial para entender as alterações de humor e comportamento em seu par romântico. Estas alterações podem decorrer de eventos internos que, por definição, não são facilmente visíveis por quem está de fora.

MOLDURAS INDIVIDUAIS DE SIGNIFICADOS

Os eventos internos podem ser provocados por vários estímulos. E eventos externos pequenos podem desencadear eventos internos severos, uma vez que cada pessoa percebe e reage a objetos, situações e eventos à sua própria maneira.

Por exemplo: um caminhão do corpo de bombeiros pode parecer sem significado para um advogado, mas pode provocar uma reação interna profundamente estressante em alguém que presenciou um incêndio com vítimas quando era criança.

Existe uma relação complexa entre as experiências do cotidiano e o mundo interno. As experiências do dia a dia são interpretadas a partir de princípios individuais de significados que podem influenciar enormemente o mundo interno. Estes princípios – ou molduras de significados – condicionam reflexos na mente humano, e um evento externo pode servir de gatilho para uma explosão desproporcional de eventos internos.

Alguém que tenha passado por uma decepção amorosa – uma traição, digamos -, pode viver em uma moldura onde acredita que as mulheres não dignas de confiança. Assim que inicia um novo relacionamento romântico, um evento externo mínimo – um atraso para um jantar ou cinema – provoca uma tempestade interna com todas as suas consequências danosas.

INVISTA NA INTERSUBJETIVIDADE

As diferentes representações dos eventos internos e externos explicam por que circunstâncias que parecem insignificantes para uma pessoa podem soar potencialmente catastróficas para outra.

Pessoas vulneráveis ao catastrofismo tendem a apontar qualquer situação como uma ameaça em potencial, da qual elas devem escapar a todo custo para evitar as consequências negativas terríveis que sucederão dali. Este tipo de comportamento pode levar à completa incapacitação social: por exemplo, o receio de uma decepção amorosa – uma traição ou abandono – pode resultar em uma recusa de assumir qualquer compromisso romântico. Nestes casos, as molduras internas individuais estão tão disfuncionais que impedem qualquer aprendizado e crescimento.

Seu humor e seu comportamento são constantemente afetados pelos eventos internos e externos. Ter consciência desse jogo mental complexo ajuda a aumentar sua capacidade de intersubjetividade, evitando desentendimentos sobre a natureza ou origem dos humores alheios.

A intersubjetividade é capaz de promover uma empatia profunda e verdadeira com as pessoas de seu convívio, aumentando a satisfação e o senso de humanidade nas suas relações interpessoais. Invista nisso e seja um porto sereno de sabedoria intersubjetiva para aqueles ao seu redor.

Deixe uma resposta