AS LEIS DO COMBATE

0
150

Esta semana, atendi um paciente típico. Jovem, sem filhos, veio queixando palpitações, insônia, dores musculares e um profundo desânimo. A fonte de tudo, segundo o querelante, era o bendito casamento. O namoro e o noivado haviam sido 99% fantásticos e ele esperava que o 1% restante viesse com a troca de alianças. O que aconteceu foi exatamente o inverso, e ambos entraram em uma rotina de troca de tiros sem fim.

O que ele foi fazer no consultório? Queria alguns remédios para acabar com o estresse. Mas a causa do estresse não era a esposa. Nem o casamento. Eram as expectativas que ele havia construído para sua vida.

Como todo homem no entorno dos seus 30 anos e com um relativo sucesso na carreira profissional, ele trazia um enredo detalhadamente resolvido do seu futuro. Neste roteiro, a esposa constava como um personagem, não como uma pessoa. Poderia dizer que a diferença entre ela e o boneco sobre o bolo era de apenas alguns quilos de cera. A instituição do casamento em si tinha menos importância que a geladeira de última geração vazia decorando a cozinha.

Terminei liberando-o com a receita de antidepressivos que tanto queria – ele estava a caminho de uma reunião urgente e não podia se atrasar nem mais um minuto. Uma pena. Se tivesse mais tempo, teria apresentado algumas diretrizes que todo jovem cônjuge deveria conhecer e que eu chamo de As Sete Leis do Combate:

  1. O quartel general só vem em dois tamanhos: grande demais e pequeno demais. Acostume-se. Ninguém chegará perfeito e acabado para suas necessidades. Sua alma gêmea precisará sempre de alguma reforma. Ela deverá ser medida, esticada, remendada, adubada, podada, etc. Boa parte das pessoas que sofrem com seus relacionamentos – e com a própria vida – sofre porque não querem fazer o que sabem que têm que fazer. Ponha mãos à obra: aceite a mudança!
  1. Se tudo está bem, atenção! O inimigo invariavelmente ataca em duas situações: quando você está preparado e quando você não está preparado. O mesmo ocorre com as crises: elas virão quando você estiver em pé de guerra, mas também e surpreendentemente quando tudo estiver um mar de rosas. Manter as antenas ligadas para o menor sinal de turbulência representa metade da solução dos problemas.
  1. Se você estiver em dúvida, atire. Se continuar em dúvida, atire até ficar sem balas. Qualquer coisa que você fizer – inclusive nada – poderá tornar você mais uma vítima do fogo inimigo. Isso não quer dizer que você terá razão absoluta todas as vezes que o bicho estiver pegando. Significa que, se perceber que o relacionamento não está sendo uma fonte de alegria para ambos, algo deve ser feito ainda hoje. Uma boa conversa costuma ser um bom começo.
  1. Se as ordens puderem ser confundidas, elas serão. A sensibilidade masculina estagnou logo após o Pleistoceno superior, tornando nosso córtex cerebral pouco especializado para a compreensão de indiretas. Por isso, peça que ela seja clara e específica ao expor o que está incomodando. Mantenha seus ouvidos abertos e guarde os julgamentos numa gaveta. Pelo menos por enquanto.
  1. O alcance de uma granada é sempre maior que a distância que você é capaz de pular. Muito cuidado ao jogar ultimatos sobre a mesa. Pessoas são como navios: elas podem até mudar de curso, mas costumam fazer isso bem devagar. Assim, se você estiver sem paciência e pensando em implodir o relacionamento, pense duas vezes: será que você estará longe o suficiente para escapar dos estilhaços? Algumas cicatrizes emocionais podem durar tempo demais.
  1. Se o inimigo tiver muita dificuldade para entrar, provavelmente você também terá dificuldade para fugir. Construir um relacionamento apenas para sustentar um padrão de comportamento para seus pais ou para a sociedade é como viver em uma prisão de tijolos de ouro. Faça com que sua felicidade – e a de quem você ama – seja como uma porta aberta para o mundo. Nada de falsas amarras ou grilhões de chantagens.
  1. Existe sempre um caminho, mas lembre-se: o caminho mais fácil quase sempre está minado. Cuidado extra com as soluções práticas. Em alguns casos, elas podem estar apenas escondendo sua própria imaturidade disfarçada de conveniência, não levando a crescimento pessoal algum. Vocês não nasceram juntos e não precisam morrer juntos, mas não permita que algumas pequenas diferenças negociáveis do princípio inviabilizem as infinitas possibilidades do futuro.

 

Deixe uma resposta