MITOS SOBRE O AMOR

0
103

Seja o Amor uma reação bioquímica ancestral, um estado da mente ou um conjunto de definições filosóficas abstratas, uma coisa é certa: você sabe identificá-lo quanto o sente.

Existem centenas de livros, textos e artigos explorando essa perturbação, e muitos deles trazem uma coletânea de mitos infundados. Apesar de dizer o que o amor NÃO É não seja muito útil para determinar O QUE ele é, desfazer alguma crenças ingênuas é sempre algo benigno.

Vamos a alguns mitos bem comuns:

  1. O AMOR É UMA EMOÇÃO IRRACIONAL DE 8 OU 80. Seria como dizer: ou você ama, ou não ama. Isso é uma falácia. O amor permite graduações. Você pode amar muito, pouco ou nada – o oposto de amor não é ódio, mas indiferença. Algumas vezes, os sentimentos são bem racionais, outras vezes nem tanto. Não existe determinismo nisso.
  1. NÃO É POSSÍVEL DESAPAIXONAR-SE. Sim, é. Suas emoções estão sujeitas ao controle racional da sua vontade. É possível utilizar um sem número de estratégias para se desfazer emocionalmente daquele enguiço que atolou na sua vida. Estude e se empenhe.
  1. O AMOR É UM ESTADO FISIOLÓGICO ÚNICO. Os picos hormonais do amor também ocorrem quando você está em perigo, vivendo uma reação de luta ou fuga, ou envolvido em qualquer atividade que produza picos de cortisol e adrenalina. Fisiologicamente, o amor age sobre o seu cérebro como uma dose de cocaína. Ele é o máximo, mas não é irreproduzível.
  1. A DOR DE UM AMOR FRUSTRADO É INCOMPARÁVEL. Balela. Espere até perder um ente querido ou martelar o polegar tentando enfiar um prego de 12×12 em uma ripa de preciosa ou muirapixuna.
  1. ENCONTRAR A PESSOA CERTA É UMA QUESTÃO DE SORTE. Tudo depende do seu nível de exigência (quanto mais premissas, mais difícil) e do seu nível de insistência (quanto tempo permanecer emperrado com a pessoa errada, pior será). Crie filtros, defina o que acha tolerável e aceitável, e empenhe-se escrutinando o mercado.
  1. SEMPRE EXISTIRÁ ALGUÉM MELHOR QUE SUA COMPANHIA ATUAL. Esse tipo de insatisfação diz mais a respeito de sua própria imaturidade e incompetência em estabelecer premissas razoáveis que em relação à pessoa ao seu lado neste momento. Amadureça.
  1. COMUNICAR ABERTAMENTE O QUE VOCÊS NÃO GOSTAM UM NO OUTRO É UMA TÉCNICA TERAPÊUTICA VÁLIDA. De jeito algum. Após mais de 40 anos de experiência como psicólogo especializado em relacionamentos, John Mordechai Gottman é categórico ao afirmar que expressar seus pensamentos negativos com a outra pessoa não resultará em uma catarse libertadora: irá apenas produzir mais raiva e afastamento. Encontre outro meio para comunicar seus desapreços.
  1. PARA RECEBER, VOCÊ DEVE OFERECER EM IGUAL QUANTIDADE. Na verdade, a filosofia do “toma lá – dá cá” é uma marca bastante confiável dos relacionamentos que estão naufragando. Nos relacionamentos sólidos e saudáveis, cada um dos participantes tem maturidade suficiente para oferecer o que possui sem construir expectativas de retorno.
  1. O AMOR É IMPREVISÍVEL. Mentira. Bons psicólogos são capazes de prever com 90% de acurácia as chances de um casal divorciar-se em um intervalo de 5 anos. Boa parte dessa previsibilidade baseia-se na maneira como o casal lida com os conflitos, e quantos comentários positivos versus comentários negativos eles fazem um sobre ou outro.
  1. O SEXO INEVITAVELMENTE IRÁ DIMINUIR. Tudo depende do risco negativo. Utilizando a matemática da teoria dos jogos, Gottman determinou que um casal irá parar de ter sexo em quantidade se não houver qualquer custo negativo em dizer “não” para o sexo. Enquanto o custo de dizer “não” para o convite de intercurso sexual de um dos parceiros for discretamente positivo (e não igual a zero), eles continuarão a ter muito sexo.

Deixe uma resposta