TESTES DE CONGRUÊNCIA – PARTE VI: CENAS PRÁTICAS

0
225

Para auxiliar ainda mais seu reconhecimento dos Testes de Congruência, selecionamos dezessete cenas bem comuns. Junte alguns amigos numa mesa de bar e veja com eles responderiam a elas.

Considerando suas preferências pessoais e sua personalidade, quais técnicas você empregaria nessas cenas? Concordância & Amplificação, Apontamento ou Desconsideração?


CENA 1

Alguma coisa acontece – você perde uma aposta pra ela, por exemplo -, e ela diz:

– Ficou tristinho, ficou? (Tradução: você é um filhinho da mamãe frágil e carente?).

A técnica de Desconsideração pode ser uma boa opção aqui, mas você também poderia aplicar Concordância & Amplificação, respondendo:

– Putz, fiquei! Ligue para Noé e avise pra ele ir terminando a arca porque eu vou chorar um dilúvio de tão triste.


CENA 2

A menina que você MAL conhece – mas está levemente interessado – se aproxima de você no bar e dispara o famoso:
– Ei, me paga um drinque? (Tradução: você é um servo obediente?)

Este é um teste de dominância. Ela está dizendo para você o que fazer. Apenas homens inseguros e sem valor pagam bebidas para mulheres que eles mal conhecem. Comunique sua segurança respondendo de modo divertido:

– Sem problemas. Você me paga uma cerveja primeiro e daí eu vejo se você merece o seu drinque.


CENA 3

Você marcou com ela pela primeira vez e se encontraram em uma baladinha da cidade. Logo na entrada, ela diz que tem que ir ao banheiro e lhe pede:

– Segura minha bolsa pra mim?

Pode não parecer nada, pode parecer algo completamente bobo e sem propósito – mas não é. Nas estrelinhas, ela está perguntando: você é um garoto domesticado e fará qualquer coisa que eu mandar só pra tentar me agradar? Numa situação dessas, sorria e responda simplesmente:

– Não.


CENA 4

Você está flertando com ela e ela dispara:
– Eu não fico com caras baixinhos.
Ou:
– Você é muito baixo para mim.

Tradução: você parece fraco porque seu físico não me impressionou o suficiente.

Nada pior que um cara baixinho que se irrita todo pela falta de estatura e se sente abalado assim que alguém menciona isso. Provavelmente, esse sujeito inseguro responderia algo como:
– Eu não sou tão baixo assim. Tenho 1,70 m e esse é um bom tamanho médio para homens. Além disso, me sinto bem com essa altura!

A não ser que você seja realmente alto – acima de 1,80m -, as mulheres irão provocar você por causa da sua estatura. Seu papel é mostrar que você não dá a mínima para esse detalhe. Empregue a técnica da Desconsideração ou utilize a técnica de Concordância & Amplificação, respondendo:
– É verdade, eu pareço um anão, mesmo quando saio de casa usando esse salto 15.

Utilizando a técnica de Apontamento, você também poderia dizer:
– Qual é, você consegue ser melhor que isso. Mas em uma coisa você está certa: você não tem a altura que eu gosto.


CENA 5

ELA: Você acredita em amor à primeira vista?

Parece uma pergunta tão doce e inocente…, mas o que ela esconde é uma agenda do subconsciente dela, que se pergunta: será que ele é fácil de ser dominado? A resposta inicial para essa pergunta deve ser sempre NÃO.

Ou, se você for ousado e não tiver problemas em levar um fora, vista sua camisa de humorista desbocado e diga algo como:
– Eu não acreditava nisso, mas comecei a pensar seriamente sobre esse assunto no instante em que vi o conteúdo do seu decote.


CENA 6

ELA: A gente pode ser só amigos? (Tradução: achei você fraco e prefiro aguardar algo melhor…).

Sua resposta deve ser: NÃO.

A menos, claro, que você não tenha qualquer interesse sexual nela, ou ache a companhia dela divertida, ou a veja como uma ponte para chegar nas amigas gatas que a estão acompanhando. Nesses casos, um SIM é aceitável.


CENA 7

ELA: Com quantas mulheres você já dormiu? (Tradução: você é um babaca em privação de sexo?).

Dizer que você não saiu com muitas mulheres diminui seu valor. Por isso, exagere seu número se ele for muito baixo – quem irá saber isso com 100% de certeza além de você mesmo, afinal? O flerte é um jogo e foi feito para ser jogado. Se alguém não concorda com essas regras evolutivas, basta dar um Google em “mosteiro budista” e agendar um retiro espiritual por algumas décadas.

Se não quiser dar um número, desconsidere dizendo:
– Sei lá, perdi a conta.

Ou aplique o Humor:
– Você diz, hoje?


CENA 8

ELA: Você tem namorada? Aposto que você tem namorada! (Tradução: novamente, você é um babaca em privação de sexo?).

A resposta correta é sempre:
– Sim, eu tenho.

Mesmo que você não tenha.

Isso melhora sua pré-seleção. Mulheres adoram roubar o homem de outra mulher – pode parecer lamentável (e é), mas também é verdadeiro. Qualquer coisa que seja do interesse de outra mulher despertará automaticamente o interesse dela também – nem que seja para satisfazer uma curiosidade momentânea.

Achou desonesto? Google Mosteiro Budista.


CENA 9

Em um barzinho, você chega na gata e ela dispara na lata:
– Você parece jovem demais para mim. Tem quase idade para ser meu filho!

Um sujeito mais sensível iria se doer todo e começar a se explicar para alguém que acabou de conhecer:
– Eu sei, acabei de fazer 21 anos e sempre tive uma aparência de menino…

Péssimo. Que tal utilizar o humor?
– Obrigado, vou considerar isso um elogio! Mas sou ainda mais jovem do que aparento, acredita? Na verdade, precisei falsificar minha carteira de identidade para entrar no último filme da Disney, mas não conte isso para o segurança do bar.

Ou:
– Sei, tenho idade suficiente para ser seu filho E também para ser pai de alguns deles.


CENA 10

Vocês já estão namorando e decidiram passar a tarde chuvosa de sábado em casa. Você se esparrama no sofá e sintoniza na TV um canal que gosta.
ELA: Não acredito que você curte esse programa bobo.
ELE: Eu não costumo assistir muito. Além disso, não é tão infantil assim: tem algumas sacadas bem adultas.

Putz… o sujeito acabou de perder uma oportunidade e saiu com essa tentativa de negação, procurando justificar-se. Seja honesto, leve e bem humorado:
– Gosto demais desse programa e você há de concordar: ele é engraçado pra caramba! Aposto que você também gosta, só não tem coragem de admitir isso.


CENA 11

Naquele encontro, na mesa do restaurante, ela sobe no palanque do neo-feminismo e dispara:
– Você tem que ser muito ingênuo para achar que sexo é bom todas as vezes. Algumas vezes, o sexo é uma bosta.

Um sujeito dependente de validação ficaria em silêncio, se sentindo estúpido e envergonhado. Você quer ser esse cara? Aproveite a chance para aplicar humor com atrevimento:
– Vou te dar uma notícia: quando eu estou envolvido, o sexo é sempre bom. Mas entendo sua opinião. Você não deve ter vivido a experiência do modo certo ainda.


CENA 12

ELA: Por que você fica falando sobre sexo?
O TOLINHO: Desculpe, eu só estava tentando puxar assunto. Desculpe mesmo.

Percebe como um sujeito se sente envergonhando, diminuído, procurando validação como um cachorrinho mendigando um pouco de cafuné?

A esta altura, você já entendeu a dinâmica. Se ela perguntar por que você fala tanto de sexo, opte pelo confronto utilizando a Honestidade:
– Falo de sexo porque sexo é um assunto super interessante. Bom de falar sobre, melhor ainda de fazer. Além disso, é sabendo opiniões sobre assuntos importantes que a gente vai conhecendo a outra pessoa. Pensa só: sem o sexo dos seus pais, nós não estaríamos tendo essa conversa. Ou você ainda acha que nasceu de uma cegonha?

Você é um Homem. Homens gostam de sexo. Se você está flertando com ela e ela mostrou que não gosta de sexo, o que você imbecil ainda está fazendo gastando sua saliva ali?


CENA 13

ELA: Você está tentando me cantar?

O cara cheio de dedos e medo de rejeição responde, inacreditavelmente:
– Não, só quero que sejamos amigos.

Não faça uma asneira dessas. Utilize a técnica do Humor:
– Depende. Está funcionando?

Ou seja Honesto:
– Sim, estou te cantando, mas quero conhecer você primeiro para saber se vale à pena.


CENA 14

ELA: Você sabe que não vai rolar nada além disso hoje, certo?

O camarada educado, cavalheiro, respeitador dos bons costumes, que tampa os olhos quando assiste cena de beijo em novela, diria:
– Tudo bem, imagina, eu não quero forçar a barra.

O leitor de ManhoodBrasil que sabe quem é e vai atrás do que quer:
– Calma lá, senhorita. Eu não sou assim tão fácil. E concordo com você: o sexo é sempre melhor no Segundo encontro.


CENA 15

ELA: E para quê você quer o meu número de telefone?

O menino criado pela avó que jogava bolinha de gude no tapete felpudo da sala, diria:
– Achei você legal e gostaria de te ver de novo. Se você quiser, lógico.

O humorista mordaz que joga leve:
– Pra escrever na parede do banheiro: “não perca a oportunidade para se divertir esta noite, ligue para…”.


CENA 16

ELA: Por quê você quer me levar para outro lugar? Aqui está bom.

O sedutor ingênuo com receoso de ser rejeitado, diria:
– Ah, eu queria conversar melhor com você e pensei em irmos para um lugar mais silencioso…

Por outro lado, um jogador bom de bola que domina a técnica do Apontamento responderia algo como:
– Na verdade, vi que você está precisando se exercitar para queimar umas calorias e achei que caminhar até ali seria bom para sua saúde. Estava tentando ser discreto sobre isso, mas como você perguntou, me senti forçado em ser honesto contigo.


CENA 17

ELA: Ah, não sei se nesse dia vou poder encontrar com você. Talvez sim, não sei ainda ao certo.

O domesticado ansioso para dar uma volta de coleira no quarteirão, diria:
– Tudo bem. Fico aguardando você conferir sua agenda e ver quando pode ser, então.

Um Homem de verdade responderia utilizando a técnica da Honestidade:
– Olha, se tem uma coisa que eu não suporto é gente indecisa. Você não parece estar muito certa a respeito disso, então vamos fazer o seguinte: se não pode ir, basta me dizer agora que não pode e pronto. Tudo certo. Entenda: o problema não é você não poder ir, o problema é eu ficar desperdiçando o meu tempo com você.

Uma resposta direta como essa em geral causa um estado de choque e a faz sair da inércia. Na pior das hipóteses, ela irá descartar você, poupando seu empenho e seu tempo – o que é sempre um bom negócio.


EM RESUMO

Em todos os cenários descritos acima, se ela se mostrar muito irritada e não entrar no jogo, não se sinta mal em virar as costas e descartá-la. Não existe uma maneira melhor de dizer “você não é divertida” do que retirar-se e sonegar atenção. Se você fez o seu trabalho e tentou capturar o interesse dela, e isso não rendeu frutos, então o prejuizo é dela, não seu.

Se você ficar o tempo todo tentando agradá-la, ela irá perder o respeito e o interesse por você. Quando mais você ceder, pior será.

O repertório de Testes de Congruência é quase infinito – a programação de seleção natural das mulheres as tornou obsessivas nesse sentido. Felizmente, em todos eles, o objetivo será sempre o mesmo: verificar se você é um Homem de fato. Quando estiver em dúvida sobre como proceder, simplesmente aja como um ogro que não se importa com a opinião dela.

Sim, é um mundo estranho – mas é o mundo que existe.

 


Aprenda mais sobre Testes de Congruência lendo a série completa:

PARTE I: VOCÊ SABE O QUE SÃO?

PARTE II: QUAL O OBJETIVO?

PARTE III:  VOCÊ SABE COMO DETECTAR?

PARTE IV: COMO PASSAR?

PARTE V: TÉCNICAS PARA EVITAR NAUFRÁGIOS

PARTE VI: CENAS PRÁTICAS

PARTE VII: UM ÚLTIMO AVISO DE CAUTELA

Deixe uma resposta